Il Duce Sammy

A Ossewabrandwag (africâner do Ox-wagon Sentinel) era uma organização pró-alemã na África do Sul durante a Segunda Guerra Mundial, que se opunha à participação da África do Sul na guerra.

No final da guerra, a OB foi absorvido pelo Partido Nacional e deixou de existir como um órgão separado.

Letra/Lyrics:

Op die heideblom 'n mooie blommetjie
En haar naam, Erika
Is slegs myne ja, 'n duisend kere meer
Harte vier, Erika

Want haar hart is vol van soetigheid
Daar 'n onontluikte blommekleed
Op die heideblom 'n mooie blommetjie
En haar naam, Erika

In my kamertjie blom ook 'n blommetjie
En haar naam, Erika
Al met môredou so ook met awendgrou
Sien sy my, Erika

En dan is dit so asof sy wil sê
Dink jy ook aan my, jou liewe bruid
In jou tuiste ween oor jou 'n meisie skoon
En haar naam, Erika

"Hitlerleute" ou "Povo do Hitler" é a versão Alemã do Hino da Itália Fascista "Giovinezza"
(Eu decidi colocar "Hitleristas" na tradução para se encaixar melhor)

Letra/Lyrics:

In dem Kampfe um die Heimat
Starben viele Hitlerleute.
Aber keiner denkt ans Klagen,
Jeder will es mutig wagen.
Ringen woll'n wir um die Stunde,
Die uns Brot und Freiheit bringt (Freiheit bringt).
Reiht euch ein, es gelingt.
Laut und drohend schon der Ruf zum Himmel dringt.

Hitlerleute, Hitlerleute,
Es klirrt die Sklavenkette heute noch im Land.
Es kommt der Tag, da sie zerbricht,
Feige Knechte sind wir nicht!

Von der geistigen Verführung
Unsre Brüder zu befreien,
Von dem Wahnsinn des Marxismus
Durch den deutschen Sozialismus!
Eine Heimat zu erringen,
Die die Deutschen einst befreit (einst befreit).
Vorwärts, frisch in den Streit!
Adolf Hitler findet uns zum Kampf bereit.

Hitlerleute, Hitlerleute,
Es klirrt die Sklavenkette heute noch im Land.
Es kommt der Tag, da sie zerbricht,
Feige Knechte sind wir nicht!

Eine blutigrote Fahne
mit dem schwarzen Hakenkreuze,
aus der Not der Zeit geboren,
als uns alles ging verloren,
flattert uns voran im Kampfe.
Schließ dich an, denn sie ist rein (ganz allein).
Her zu uns, reih dich ein!
Siegen heißt es oder ewig Sklave sein!

Hitlerleute, Hitlerleute,
Es klirrt die Sklavenkette heute noch im Land.
Es kommt der Tag, da sie zerbricht,
Feige Knechte sind wir nicht!

PS: A tradução foi feita por mim, portanto erros de tradução podem ocorrer e também pode não ser uma tradução 100% precisa.

Cântec de luptă é uma canção patriótica da Guarda de Ferro ... "Garda de Fier" em romeno. A música foi escrita por Constantin Savin, ano desconhecido.

Letra/Lyrics:

Un cântec de jale, un cânt de durere,
Rasuna prin munti si câmpii.
E marsul de lupta, de reînviere,
Ce–l cânta ai tarii copii. bis

Române, deci vino azi, vino la lupta
Si nu da un pas înapoi,
Ruina ti–i casa, furat ti–i pamântul,
Copiii flamânzi îti sunt goi.

Si vin muncitorii, si vin toti plugarii,
S'aduna vitejii Români,
Vrem moarte cu totii în lupta viteaza,
Decât sa fim slugi la straini.

Încinge deci, spada cea grea, legionare,
Loveste în lașul dusman,
'Nainte cu "Garda de Fier", înainte,
Traiasca al nost' Capitan.

"We are back baby"

A letra desta música é talvez a única que foi escrita por uma mulher que aparece nos livros de música juvenil, e sua aparência remonta a 1945. A letra é de Pilar García Noreña e a música a Enrique Franco Manera. Ele apareceu no "Cancionero Falangista" daquele ano.

Letra/Lyrics:

La mirada clara, lejos,
y la frente levantada,
voy por rutas imperiales
caminando hacia Dios.

Quiero levantar mi Patria,
un inmenso afán me empuja,
poesía que promete
exigencia de mi honor.

Montañas nevadas,
banderas al viento,
el alma tranquila.
Yo sabré vencer.
Al cielo se alza
la firme promesa,
hasta las estrellas
que encienden mi fe.

Como você sabe, essa música se tornou muito popular na segunda Guerra Mundial, e tornou-se viral nos dois lados.

Aqui está a versão Alemã caso alguém não viu:

https://www.bitchute.com/video/9RiV7WnHuQjk/

Só queria dizer um "Merry X-MAS" (Feliz natal) para todos vocês e um Feliz Ano Novo, que o próximo ano seja feliz e próspero para todos nós.
Talvez este seja o meu último vídeo do ano, prometo voltar em Janeiro.

Letra/Lyrics:

Tutte le sere
sotto quel fanal
presso la caserma
ti stavo ad aspettar.
Anche stasera aspetterò,
e tutto il mondo scorderò,
con te Lili Marleen,
con te Lili Marleen.

Dammi una rosa
da tener sul cuor
legala col filo
dei tuoi capelli d'or.
Forse domani piangerai,
ma dopo tu sorriderai.
A chi Lili Marleen?
A chi Lili Marleen?

O trombettier
stasera non suonar,
una volta ancora
la voglio salutar.
Addio piccina, dolce amor,
ti porterò per sempre in cor,
con me Lili Marleen,
con me Lili Marleen.

Quando nel fango
debbo camminar
sotto il mio bottino
mi sento vacillar.
Che cosa mai sarà di me?
Ma poi sorrido e penso a te,
a te Lili Marleen,
a te Lili Marleen.

Se chiudo gli occhi
il viso tuo m'appar
come quella sera
nel cerchio del fanal.
Tutte le notti sogno allor
di ritornar, di riposar,
con te Lili Marleen,
con te Lili Marleen.

Tutte le notti sogno allor
di ritornar, di riposar,
con te Lili Marleen,
con te Lili Marleen.

A União Britânica de Fascistas (British Union of Fascists) foi um partido político do Reino Unido, fundado em 1932 por Oswald Mosley. Em 1936, o grupo mudou seu nome para União Britânica de Fascistas e Nacional-Socialistas e, em 1937, reduziu seu nome apenas para União Britânica. Este partido existiu até 1940, quando foi proscrito. A União Britânica de Fascistas formou-se a partir da união de vários pequenos partidos fascistas britânicos e ficou conhecida por apoiar o regime Nazista Alemão.

=====================================

Letra/Lyrics:

Comrades, the voices of the dead battalions,
Of those who fell that Britain might be great,
Join in our song, for they still march in spirit with us,
And urge us on to gain the fascist state!

We're of their blood, and spirit of their spirit,
Sprung from that soil for whose dear sake they bled,
Against vested powers, Red Front, and massed ranks of reaction,
We lead the fight for freedom and for bread!

The streets are still, the final struggle’s ended;
Flushed with the fight we proudly hail the dawn!
See, over all the streets the fascist banners waving,
Triumphant standards of our race reborn!

Este, também chamado de 'Viva la Revolucion', é bastante curto, e de acordo com algumas fontes foi cantada depois de 'Cara al Sol' pelos nacionais-sindicalistas da Falange espanhola, a Falange da JONS (JONS significando Juntas de assalto Nacional sindicalista ).

Letra/Lyrics:

Viva, Viva la revolucion!
Viva, Viva Falange de las Jons
Fuera!Fuera! Fuera requete
Viva, Viva Falange sin la te

Que no queremos, jefes idiotas
Que no sepan gobernar
Porque queremos
Y implantaremos
Es el Esdtado Sindical

Esta é a versão Italiana da música Alemã "Horst Wessel Lied" (Se eu postasse no Youtube eu com certeza ia levar um belo Strike)

Letra/Lyrics:

Oh legionari, in alto i gagliardetti!
Serrate i ranghi, è l'ora di marciar!
Camerati assasinati dalla reazione,
Marciate in spirito, con la rivoluzion!
Camerati assasinati dalla vecchia rotta,
Marciate in spirito, con i nostri battalion.

E tutti insieme: insieme morti e vivi!
Al vecchio mondo, che non ha più ideal.
Lanciamo in coro, una sfida travolgente:
Pronti a morir, per la nostra civiltà!

Este é o hino do Batalhão Narva, um dos batalhões da SS da Estônia que lutaram na Rússia, especificamente a Ucrânia, juntamente com a SS Wiking, para substituir as Legiões de Voluntários Finlandeses.
Ele lutou contra o Exército Vermelho em Izjum, e mesmo com apenas 800 homens fortes, causou 7100 (homens + tanques) de danos às vítimas daqueles malditos comunistas.

Letra/Lyrics:

Kord võitles Lõuna-Venemaal,
Kaugel Doni steppides.
Üks vapper Eesti pataljon,
Lauldes laulu kuradist.

Meid paisati itta, kord läände,
Kõikjal seisime kaljude naal
Ja Neveli sood ja Tšerkassõ,
Ei iial meid unusta saa.

Rünnakrelvade terases tules,
Kõlab leekides kuradi naer
Ha-ha-ha!
Võrsub vabadusidu,
Ei murra neid ridu,
Kes Eesti eest annavad kõik.

Aeg sangarid kord unustab
Ja tandrid tasandab.
Ja surnupealuu sõdureist
Vaid tuul veel jutustab.

Teed tagasi meie jaoks pole,
Ehk küll häving on silmade ees.
Vaba Eesti eest palju ei oleks,
Kui langeks meist viimnegi mees.

Rünnakrelvade terases tules,
Kõlab leekides kuradi naer
Ha-ha-ha!
Võrsub vabadusidu,
Ei murra neid ridu,
Kes Eesti eest annavad kõik.

O slogan "Me ne Frego" originou (não linguisticamente, mas para esse contexto) o "poeta-guerreiro" Gabriele d'Annunzio e tornou-se popular entre os soldados italianos na Primeira Guerra Mundial. Era uma expressão de coragem e bravura, não descuido: "podemos morrer amanhã, mas eu Me ne frego. " Depois da guerra, continuou a ser usada pelos esquadristi de Mussolini e depois que ele chegou ao poder, tornou-se o lema das camisas pretas.

PS: Eu tinha enviado essa música no Youtube, mas foi removido por "Promover Discurso de ódio"

Letra/Lyrics:

Il motto,
spregiudicato e schietto,
fu detto
da un baldo giovinotto
Fu trovato molto bello,
se ne fece un ritornello
e il ritornello allegro fa così:

"Me ne frego!
Non so se ben mi spiego:
Me ne frego:
fo quel che piace a me!"

Albione la Dea della Sterlina
S'ostina vuol sempre lei ragìone
Ma Benito Mussolini
Se l'italici destini
Sono in gioco può ripete così:

"Me ne frego!
Non so se ben mi spiego:
Me ne frego:
fo quel che piace a me!"

Franchezza, di marca italiana,
non vana baldanza che disprezza
Chi sa bene quel che vuole
non può dir tante parole:
per sbrigarsi gli conviene dir così:

"Me ne frego!
Non so se ben mi spiego:
Me ne frego:
fo quel che piace a me!"

L'Italia, che chiede un posto al sole,
non vuole,
non può star sempre a balia;
il linguaggio suo rivela
ch'ella è uscita di tutela,
e a chi si scandalizza può ripetere così:

"Me ne frego!
Non so se ben mi spiego:
Me ne frego:
fo quel che piace a me!"

È strano, c'è un ascaro che è allegro,
è negro, ma parla in italiano
Per provar che parla bene,
proprio come si conviene,
ripete a perdifiato tutto il dì:

"Me ne frego!
Non so se ben mi spiego:
Me ne frego:
fo quel che piace a me!"

Santo Deus... foi difícil achar essa música com a letra mas finalmente eu consegui : )

Não achei esta música com um áudio melhor, fiquei HORAS procurando, mas só achei o instrumental...

Agora sobre a música em si:

Esta música foi muito apreciada por Adolf Hitler. Durante o Terceiro Reich , essa marcha foi realizada em suas apresentações. Portanto, ele era ouvido regularmente no noticiário alemão.

Como a marcha foi involuntariamente associada a Hitler após o final do nacional-socialismo, hoje não é mais tocada pelo Bundeswehr e pelo corpo de música policial . O primeiro chefe do serviço militar de música, Friedrich Deisenroth, colocou isso na formação do corpo musical do Bundeswehr em 1956 por "instrução especializada" para o Bundeswehr. Excluídos são os chamados "shows históricos", nos quais o desenvolvimento da marcha em geral e a natureza das marchas típicas do país devem ser mostrados. Nas apresentações, no entanto, a marcha deve usar o título original "Badonviller march."

Letra/Lyrics:

Vaterland, hör' deiner Söhne Schwur:
Nimmer zurück! Vorwärts den Blick! Herzen empor!
Großer Gott, schirme die Heimatflur,
segne das Volk, segne den Mann, den es erkor!

Rein und stolz, tönet in Süd und Nord
deutscher Sang wieder und deutsches Wort.
Waffengeweiht, friedensbereit, eilet zu Hauf!
Flammendes Licht Wolken durchbricht, Sonne glüht auf!

Glockenklang kündet des Reiches Ehr',
Siegfrieds Geschlecht rang um sein Recht, machte sich frei!
Hakenkreuz leuchtet vom Fels zum Meer.
Brüder, ans Werk, dem Führer treu!

"Falangista Soy" é um hino da Falange Espanhola de las JONS . Foi composta por Fernando Moraleda e foi usada durante a Guerra Civil , caindo em um esquecimento progressivo, sendo substituída por Cara al Sol , também o hino da FE de las JONS.

Letra/Lyrics:

Falangista soy,
falangista hasta morir o vencer
y por eso estoy
al servicio de España con placer.
Alistado voy con la juventud
a la lid de nuestra fe
mi camisa azul y el escudo
con el yugo y el haz
garantía son
en la España inmortal que triunfará.

Cuando se enteró mi madre
de que yo era de las JONS,
me dio un abrazo y me dijo:
¡Hijo mío de mi alma
así te quería yo!
Falangista valeroso
y con este patrimonio,
la Justicia, el Pan, la Patria
y una España Grande y Libre
que soñaba José Antonio.

Falangista soy,
falangista hasta morir o vencer
y por eso estoy
al servicio de España con placer.
Alistado voy con la juventud
a la lid de nuestra fe
mi camisa azul y el escudo
con el yugo y el haz
garantía son
en la España inmortal que triunfará.

Ahora estoy en las trincheras
dando la cara a la muerte,
si muero sólo lo siento,
madrecita de mi vida
porque no volveré a verte.
Pero sé que si me matan,
de la sangre en que yo muera,
se alzará como una espiga roja y negra,
de la pólvora y la sangre, mi bandera.

A Milícia Ustaška era a ala armada do Partido Ustashe do Poglavnik Ante Pavelić, e era notória por sua violência contra não-croatas e ciganos étnicos (exceto os bósnios, que eram considerados croatas muçulmanos), bem como o excelente desempenho no país. Frente dos Balcãs, assim como na Rússia. Seu principal objetivo era limpar as terras croatas e expurgar os chetniks e partidários (a maioria deles eram sérvios étnicos), que também levaram enormes massacres contra os croatas.

======================================

Letra/Lyrics:

Ustaška se vojska diže,
Osvetnika strašan roj.
Hrabra srca silne ruke,
Nasrće u krvav boj.

Ustaška se vojska diže,
Zarobljenu domovinu pogaženo selo, dom.
Oslobodit krvlju ide,
I junačkom desnicom.

Kruti bol je za Hrvata,
Biti tuđi podanik.
Kad je viko od vijekova,
Bit u boju pobjednik.

Ustaška se vojska diže,
Zarobljenu domovinu pogaženo selo dom.
Oslobodit krvlju ide,
I junačkom desnicom.

Ustaška se vojska diže,
Za slobodu vodit rat.
Dok ne stigne sve do Drine,
Neće klonut, neće stat!

Ustaška se vojska diže,
Osvetnika strašan roj.
Hrabra srca silne ruke,
Nasrće u krvav boj.

=====================================
PS: Eu modifiquei a letra em algumas estrofes, caso contrário a música seria incompreensível, mas não se preocupem o significado está intacto.

Eu te saúdo! (Eu vou para a Abissínia!) É uma das canções italianas de tropas militares compostas para a guerra Ítalo-etíope . Ela ficou em segundo lugar apenas pela reputação da Faccetta nera , muitas vezes ocupando o lado B dos 78 rpm .

Letra/Lyrics:

Si formano le schiere e i battaglion
che van marciando verso la stazion,
Hanno lasciato il loro paesello
cantando al vento un gaio ritornello.
Il treno parte: ad ogni finestrin
ripete allegramente il soldatin...:

«Io ti saluto! Vado in Abissinia;
cara Virginia;
ma tornerò.
Appena giunto nell'accampamento,
dal reggimento
ti scriverò.
Ti manderò dall'Africa un bel fior,
che nasce sotto il ciel dell'Equator.
Io ti saluto! Vado in Abissinia
cara Virginia;
ma tornerò.»

Col giovane partente tutt'ardor
c'è chi sul petto ha i segni del valor,
ma vanno insieme pieni di gaiezza
cantando gli inni della giovinezza.
e il vecchio fante che non può partir
rimpiange in cuore di non poter dir:

«Io ti saluto! Vado in Abissinia;
cara Virginia;
ma tornerò.
Appena giunto nell'accampamento,
dal reggimento
ti scriverò.
Ti manderò dall'Africa un bel fior,
raccolto sotto il ciel dell'Equator.
Io ti saluto! Vado in Abissinia
cara Virginia;
ma tornerò.»

Dall'Alpi al mare fino all'Equator
innalzeremo ovunque il tricolor.
Io ti saluto! Vado in Abissinia;
cara Virginia, ma tornerò!..

Esta música grita poder como nenhum outro: conta a história de uma grande tragédia causada por potências estrangeiras e liderança corrupta.
Depois, conta como uma Romênia nova, mais forte, mais pura e maior! Fala da fé, coragem, sacrifício e lealdade da legião. Mesmo diante da morte, eles sorriem, pois sabem que conquistaram seu lugar no céu, ao lado do romeno Corneliu Zelea Codreanu!

PS: Peço perdão por qualquer erro...

Letra/Lyrics:

Suntem echipa mortii,
Din Moldova azi venim,
Aruncat e zarul sortii,
Ori învingem, ori murim.

Purtam cu noi stindardul,
Unei sfinte noi credinti
Pe el este scris cu sânge
Fapte mari si biruinti.

E jale multa’n tara,
Caci strainul e stapân,
Cersetor la el acasa
A ajuns bietul român.

De aceea azi la lupta,
Noi pornit–am sa scapam
Patria de toti tâlharii
Cinstea iar s’o întronam.

În rând cu Capitanul
Bucurosi ne vom jertfi,
Peste lesure dusmane,
Tara noua vom cladi.

Cu zâmbetul pe buze
Moartea’n fata o privim,
Caci suntem echipa mortii,
Ori învingem, ori murim.

"Well"... Essa música era para ser um "Die Wacht am Rhein" para o novo estado-nação do Japão em plena construção moderna, um tipo de novo hino militar não oficial, era uma música popular durante a Segunda Guerra Mundial, supostamente cantada durante a guerra sino japonesa e a campanha nas Filipinas.

Letra/Lyrics (JP):

吾は官軍我が敵は
天地容れざる朝敵ぞ
敵の大将たる者は
古今無双の英雄で
これに従うつわものは
共に剽悍決死の士
鬼神に恥じぬ勇あるも
天の許さぬ反逆を
起こせし者は昔より
栄えしためし有らざるぞ

敵の亡ぶるそれ迄は
進めや進め諸共に
玉散る剣抜きつれて
死する覚悟で進むべし

皇国の風ともののふは
その身を護る魂の
維新このかた廃れたる
日本刀の今更に
また世に出ずる身のほまれ
敵も味方も諸共に
刃の下に死ぬべきに
大和魂あるものの
死すべき時は今なるぞ
人に後れて恥かくな

Letra/Lyrics (Transliterada):

Ware wa kan gun wagateki wa
Tenchiirezaru choutekizo
Teki no taishou taru mono wa
Kokon musou no eiyuu de
Kore ni shitagou tsu wa mono wa
Tomo ni hyoukan kesshinoshi
Kijinni hajinu yuuaru mo
Tenno yurusanu hangyaku wo
Okoseshi mono wa mukashi yori
Sakae shitame shi arazaru zo

Teki no horoburu sore made wa
Susume ya susume moro tomo ni
Tamachiru tsurugi nuki tsurete
Shisuru kaku gode susumubeshi

Mikuni no fuuto mono no fu wa
Sonomi wo mamoru tamashii no
Ishiin kono kata suta retaru
Nippon to no ima sara ni
Mata yo niizuru mi no homare
Teki mo mika tamo moro tomo ni
Yaeba no moto ni shisubeki ni
Yamato-damashii aru mono wo
Shisubeki toki wa ima naru zo
Hi toni oku rete ha jikaku na

Os Ustaša eram um Partido Fascista Croata liderado pelo Chefe, Dr. Ante Pavelic, responsável pelo Estado Croata Independente durante a Segunda Guerra Mundial.
Um dos governantes mais brutais do Eixo, Pavelic queria uma Croácia racialmente pura, que exigia o expurgo de sérvios, povo romani e judeus, mas não bósnios, porque Glavnik acreditava que eles compartilhavam as mesmas raízes dos croatas e do Islã bósnio. Juntamente com o catolicismo croata, preservaria a identidade croata.
Os sérvios eram odiados pelos croatas porque pensavam que os sérvios estavam invadindo pessoas não puras e seus planos para os sérvios eram, como o próprio chefe disse, "matar um terço, expulsar um terço e converter um terço".

Letra/Lyrics:

Puška puca a top rice, grmi kao grom,
Sad Ustasa bojak bije za Hrvatski dom.

Puška puca krv se lije, dušman bježi klet,
A Ustaška hrabra vojska vrši zavjet svet.

Tjera smjelo dušmanina, s praga djedovskog,
I podiže staru slavu roda Hrvatskog.

Puška puca a top rice, barut miriše,
Mlad Ustaša na bojištu ranjen izdiše.

Ne plaši ga grom pušaka ni topova jek,
Dom, sloboda, vjerna ljubav, rani su mu lijek.

Oj Hrvatska zemljo mila, svice danak tvoj,
Sad Ustaska hrabra vojska za te bije boj.

Peço perdão por qualquer erro.

Faccetta Nera (do italiano: "pequeno rosto negro"; "rostinho negro") é uma canção de marcha composta por Giuseppe Micheli (letra) e Mario Ruccione (música) para o exército da Itália fascista por ocasião da Segunda Guerra Ítalo-Etíope (1935-1936). A letra da canção foi inspirada na figura de uma bela escrava etíope, que foi libertada pelas tropas fascistas no início da invasão italiana da Etiópia. Faccetta Nera fala sobre como a escrava será levada à Roma e como lhe será oferecida uma nova vida, livre das amarras da escravidão. O narrador da canção promete que lá, sua pele escura será "beijada" pelo sol italiano, e que ela será apresentada à uma nova legislação, novos governantes e costumes.
A guerra foi vencida, a escravidão e a servidão terminaram na Etiópia, e muitas coisas novas, como civilização e infraestrutura, foram introduzidas por quem os aliados descrevem como "os malvados racistas e egoístas".

Letra/Lyrics:

Se tu dall'altipiano guardi il mare
Moretta che sei schiava tra gli schiavi
Vedrai come in un sogno tante navi
E un tricolore sventolar per te!

Faccetta nera, bell'Abissina
Aspetta e spera che già l'ora si avvicina!
Quando saremo insieme a te
Noi ti daremo un'altra legge e un altro Re!

La legge nostra è schiavitù d'amore
Il nostro motto è "Libertà e Dovere"!
Vendicheremo noi Camicie Nere
Gli eroi caduti liberando a te!

Faccetta nera, bell'Abissina
Aspetta e spera che già l'ora si avvicina!
Quando saremo insieme a te
Noi ti daremo un'altra legge e un altro Re!

Faccetta nera, piccola Abissina
Ti porteremo a Roma, liberata
Dal sole nostro tu sarai baciata
Sarai in Camicia Nera pure tu!

Faccetta nera, sarai Romana!
La tua bandiera sarà sol quella italiana!
Noi marceremo insieme a te
E sfileremo avanti al Duce e avanti al Re!

Eu realmente não tenho muita informação sobre essa música, eu achei no canal do FBIV.

Letra/Lyrics:

Nippondanshi to umare kite
sen no ba ni tatsukara wa
na o koso oshime bushi yo
chirubeki toki ni kiyoku chiri
mikuni ni kaore ōka.
nasake ni atsuki jōbu mo
tadashiki ken toru toki wa
zenman'nin mo jisuru nashi
shinzuru mono wa tsuneni kachi
sumeragi-shi ni mukau teki araji

Gojō no kun kashiko mite
sen'ya ni shikabane sarasu koso
bujin no kakugo mukashi yori
ichi kami tsuchi ni nokosazu mo
Homare ni nan no shi Ya aru.

Esta é uma música criada após a Primeira Guerra Mundial . Trata e glorifica os feitos do líder camponês Florian Geyer e seu Schwarzen Haufens, um exército camponês de Odenwald, durante as guerras camponesas do século XVI. A música, criada no contexto da Bündische Jugend , foi cantada por muitos grupos diferentes e usada várias vezes, por exemplo, durante o Nacional Socialismo e na RDA , como uma canção de batalha política.

Letra/Lyrics:

Wir sind des Geyers schwarzer Haufen, heia hoho,
und wollen mit Tyrannen raufen, heia hoho.

Spieß voran, drauf und dran,
setzt auf’s Klosterdach den roten Hahn!

Uns Führt der Florian Geyer an,
Trotz acht und bann!
Den bundschuh führt er in der fahn'.
Hat helm und harnisch an!

Spieß voran, drauf und dran,
setzt auf’s Klosterdach den roten Hahn!

PS: Eu modifiquei a letra em algumas estrofes, então a tradução pode não dizer exatamente o que as letras fazem, mas não se preocupem o significado está intacto.

A Divisão Azul, ou Divisão de Voluntários Espanhóis, era uma legião de espanhóis que, como Legião Estrangeira, foram para a Frente Congelada, lutando em frentes importantes como Leningrado e Volchow (Citado na música).
Sua melodia foi retirada da famosa canção Soviética Katyusha. A Divisão foi dissolvida em 1943, mas alguns espanhóis se recusaram a abandonar o campo de batalha, formando a Legião Azul.

Letra/Lyrics:

Es un ángel que va cabalgando
Cabalgando con brío y valor
Va cantando las tristes historias
De una guerra que ya terminó

Primavera lejos de mi pátria
Primavera lejos de mi amor
Primavera sin flores y sin risas
Primavera, guerra en el Wolchow

Y sus aguas que van al Ladoga
Van cantando esta triste canción
Canción triste de amor y de guerra
Canción triste de guerra y amor

Cuando ebrio avanza el enemigo
Atacando con vodka y sin valor
Rasga el aire mas fuerte que la metralla
Las estrofas de mi "Cara al sol"

"Cara al sol" canción antigua y nueva
"Cara al sol" es el himno mejor
"Cara al sol" y morir peleando
Que mi pátria así me lo pidió

Si en la lucha yo quedara roto
Marcharía en la legión de honor
Montaría la guardia de los luceros
Formaría junto al mejor

Montaría la guardia de los luceros
Formaría junto al mejor

Quando Pietro Badoglio e o rei Vittorio Emanuele assinaram o armistício em 8 de setembro de 1943, todos os combatentes italianos foram incentivados a se render aos aliados, mas os alemães rapidamente ocuparam a parte norte da Itália e colocaram Mussolini como chefe de estado na recém-nascida República Social Italiana.
Ele então incentivou todos os verdadeiros italianos a se unirem a ele e continuarem lutando até o amargo fim. Mas a marinha e a maioria de seus navios estavam no sul, tornando-os agora propriedades aliadas.
A maioria deles, exceto alguns, que mais tarde se tornaram o XMAS (entre outros grupos, como o lendário Reggimento San Marco), os fuzileiros navais fascistas italianos, que espalharam o terror entre frotas aliadas até o final deste banho de sangue que chamamos de Segunda Guerra Mundial.

Letra/Lyrics:

Quando pareva vinta Roma antica,
Sorse l'invitta Decima Legione,
Vinse sul campo il barbaro nemico,
Roma riebbe pace con onore.

Quando all'obbrorio l'otto di Settembre
Abbandonò la Patria il traditore,
Sorse dal mar la Decima Flottiglia
che prese l'armi al grido:
"Per L'Onore!".

Decima, Flottiglia nostra,
Che beffasti l'Inghilterra,
Vittoriosa ad Alessandria,
Malta, Suda e Gibilterra.
Vittoriosa è già sul mare,
E ora pure sulla terra
Vincerai!

Navi d'Italia che ci foste tolte
Non in battaglia ma col tradimento,
Nostri fratelli prigionieri o morti,
Noi vi facciamo questo giuramento:

Noi vi giuriamo che ritorneremo
Là dove Dio volle il tricolore,
Noi vi giuriamo che combatteremo
Fin quando avremo pace con onore!

Decima, Flottiglia nostra,
Che beffasti l'Inghilterra,
Vittoriosa ad Alessandria,
Malta, Algeri e Gibilterra.
Vittoriosa già sul mare,
Come pure sulla terra
Vincerai!

Durante a Segunda Guerra Mundial, em outubro de 1941, devido à transformação e fortalecimento dos batalhões de assalto e montanha da MVSN, foram criadas novas unidades de elite chamadas Batalhões "M" (onde "M" significava Mussolini). Esses novos departamentos, incluídos nas grandes unidades do Exército R., destacaram-se nos Bálcãs, na frente russa e na Tunísia. Após a queda do regime, os batalhões desdobrados no norte, na França e nos Bálcãs juntaram-se ao RSI; posteriormente eles foram absorvidos pela Guarda Nacional Republicana. A equipe desses batalhões usava os uniformes normais fornecidos para a milícia, mas na insígnia eles usavam um pacote trançado com a letra "M" esmaltado em vermelho.

Letra/Lyrics:

Battaglioni del Duce, battaglioni
della morte, creati per la vita:
a primavera s'apre la partita,
i continenti fanno fiamme e fior.
Per vincere ci vogliono
i leoni di Mussolini armati di valor.

Battaglioni
della morte,

battaglioni
della vita,

rincomincia la partita,
senza l'odio non c'è amor.
Emme rossa uguale sorte,
fiocco nero alla squadrista,
noi la morte l'abbiam vista,
con due bombe e in bocca un fior.

Contro l'oro c'è il sangue — e fa la storia, contro i ghetti profumano i giardini,
sul mondo batte il cuor di Mussolini:
a Marizai il buon seme germogliò.
Nel clima di battaglia
e di Vittoria la fiamma nera a ottobre divampò.
Contro Giuda, contro l'oro,
sarà il sangue a far la storia,
ti daremo la vittoria, Duce, o l'ultimo respir.

Battaglioni del lavoro,
battaglioni della fede,

vince sempre chi più crede,
chi più a lungo sa patir.

Este é o hino usado pela Legião de São Miguel Arcanjo, também conhecido como Guarda de Ferro, um grupo fascista criado por Cornelius Zelea Codreanu, com fortes raízes religiosas.
Codreanu foi assassinado a sangue frio pela Gendarmerie, junto com os dois principais esquadrões da morte do guarda, o Decemviri e Nicadori, o último sendo retratado na música.
A guarda sobreviveu um pouco mais sob o controle de Horia Sima, que se aliou ao marechal N4z1st4 Ion Antonescu, mas foi morto e banido pelo próprio Antonescu, a fim de remover possíveis inimigos.

Letra/Lyrics:

Sfânta tinerețe legionară,
Cu piept călit de fier și sufletul de crin
Iureș ne-nfrânat de primăvară,
Cu fruntea ca un iezer carpatin,
Cu brațele suim în soare,
Catapetesme pentru veac
Le zidim din stânci, din foc, din mare,
Si dârz le tencuim cu sânge dac!

Garda, Căpitanul,
Ne preschimbă-n șoimi de fier
Țara, Căpitanul,
Și Arhanghelul din cer

Moartea, numai moartea legionară,
Ne este cea mai scumpă nuntă dintre nunți,
Pentru sfânta cruce, pentru țară,
Înfrângem codrii și supunem munți;
Nu-i temniță să ne-nspăimânte,
Nici chin, nici viforul dușman;
De cădem cu toți, izbiți în frunte,
Ni-i dragă moartea pentru Căpitan!

Garda, Căpitanul,
Ne preschimbă-n șoimi de fier
Țara, Căpitanul,
Și Arhanghelul din cer

Sfânta tinerețe legionară,
Suim biserici, stăm viteji în închisori
În prigoana orișicât de-amară,
Cântăm si ne gândim la Nicadori,
Purtăm în crivăț și în soare,
Lumini pentru biruitori,
Pentru cei viteji zidim altare,
Și-avem doar gloanțe pentru trădători!

Garda, Căpitanul,
Ne preschimbă-n șoimi de fier
Țara, Căpitanul,
Și Arhanghelul din cer

PS.: Uma iconostase na Igreja Ortodoxa é "uma parede de ícones e pinturas religiosas, separando a nave do santuário de uma igreja. Iconostasis também se refere a um suporte de ícones portátil que pode ser colocado em qualquer lugar dentro de uma igreja"

PPS.: Esta é minha primeira tentativa de traduzir completamente a linguagem Romena. Não conheço muito esse idioma, mas fiz o meu melhor.

Divina Patria" é uma canção dos Arditi, a tropa de elite Italiana durante a Primeira Guerra Mundial. Os Arditi eram famosos por atacar as trincheiras Austríacas somente com uma faca entre os dentes, um rifle nas costas, e uma granada nas mãos, além de blindagem corporal. Eles ficariam famosos pelas suas "bandeiras negras", e seriam membros chave dentro do movimento fascista de Mussolini.
===================================

Letra/Lyrics:

Un giorno il tambur
lontano rullerà
e le trombe squillino,
trillino, chiamino.
Se poi come un tuon
echeggerà il cannon
ci troverà ben pronti per marciar.

Patria nostra tu, divina Patria
sei più preziosa della nostra vita.
Noi darem per te
con un sorriso sulle labbra
come un dono il nostro ben.

Patria nostra tu, divina Patria
se chiami all'armi correremo uniti.
Premio non vogliam
con un sorriso "a noi" premio sarà.

E' bello morir
la Patria per salvar
la bandiera libera,
palpiti, sventoli,
sui monti e sui mar,
è bello guerreggiar
con dei fucili contro il nemico vil.

Patria nostra tu, divina Patria
sei più preziosa della nostra vita.
Noi darem per te
con un sorriso sulle labbra
come un dono il nostro ben.

Patria nostra tu, divina Patria
se chiami all'armi correremo uniti.
Premio non vogliam
con un sorriso "a noi" premio sarà.

Patria nostra tu, divina Patria
se chiami all'armi correremo uniti.
Premio non vogliam
con un sorriso "a noi" premio sarà.
===================================

SHOW MORE

Created 7 months, 2 weeks ago.

58 videos

CategoryMusic

Este é um Canal destinado a tradução de cantos Fascistas, Nacionalistas, Anti-Comunistas, e muito mais sobre o Eixo. 🤗